14/03/2024 11h03min - Geral
1 mês atrás

Mara Caseiro trabalha pela instalação de Salas Lilás em todos os municípios de MS

A implantação das Salas Lilás, são uma forma de assegurar o combate à violência

Tavane Ferraresi ► Depuatada falou de sua preocupação do aumento da violencia contra as mulheres

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) busca a implantação de Salas Lilás em todos os municípios de Mato Grosso do Sul. Em pedido aos secretários estaduais de Infraestrutura e Logística, Hélio Peluffo e ao secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, a deputada falou sobre a realização de estudos para a viabilização de Salas Lilás em todo o Estado.

“Mato Grosso do Sul tem a sexta maior taxa de homicídios de mulheres no país, com 6,0 por 100 habitantes. Nosso Estado fica atrás apenas de Roraima, com 10; Paraná com 7,2; Goiás com 7,1; Mato Grosso com 6,4 e Rondônia com 6,2”, destacou Mara Caseiro ao citar números de 2016, do Atlas da Violência 2018.

 A parlamentar ainda falou sobre o grave problema social que são as mortes das mulheres sul-mato-grossenses.

 “Eis que as ocorrências envolvendo crimes contra mulheres são registradas diariamente nas sedes das Delegacia de Polícia Civil em todo o Estado. Em razão do alto número de denúncias realizadas por mulheres, inúmeras reivindicações têm surgido para que juntamente com os prédios da Delegacia de Polícia Civil seja instalada uma sala lilás para o atendimento especializado das mulheres vítimas de violência”, salientou ela.

A implantação das Salas Lilás, conforme a deputada, são uma forma de assegurar o combate à violência e de reduzir os índices de criminalidade nos municípios. 

“Os pleitos de Salas Lilás se sustentam, sobretudo, na insegurança e desconforto suportado pelas vítimas ao prestar relatos dos crimes e traumas sofridos a autoridades do sexo masculino. Assim, a instalação de uma sala especializada não apenas tornará menos penoso à vítima denunciar seu agressor como também será capaz de assegurar o combate, fortalecimento e a efetiva implantação de medidas que visem à redução dos índices de criminalidade contra esta parcela da sociedade”, concluiu.

T. Ferrarezi