26/01/2024 11h16min - Geral
3 meses atrás

Riedel confirma mudanças no 1° escalão do Governo com trocas em três secretarias

Nomeações e exonerações ainda devem ser publicadas no Diário Oficial

midiamax ► Na manhã desta sexta, governador anunciou as mudanças

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Midiamax News


Nesta sexta-feira (26), conforme já adiantado pelo Midiamax, o governador Eduardo Riedel (PSDB) anunciou trocas em três pastas. Dois titulares deixam os cargos e as trocas serão oficializadas no Diário Oficial do Estado.

Durante coletiva no Receptivo do Governo, no Parque do Prosa, Riedel confirmou a saída do delegado e deputado estadual Pedro Arlei Caravina, então secretário de Governo, que volta a assumir o mandato na  (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul).

“Caravina me pediu para retornar a alems para que pudesse exercer seu mandato no ano da eleição. Não é fácil abrir mão dele, mas precisamos respeitar essa trajetória política dele”, afirmou o governador.

Assim, o deputado estadual João Mattogrosso (PSDB) perde o mandato. No entanto, ganha cargo no Governo, como secretário-adjunto da Casa Civil, ao lado do titular da pasta Eduardo Rocha. A posição estava vaga após a exoneração de Flávio Brito, alvo da Operação Turn Off.

Um novo nome chega à frente da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica com a saída de Caravina. É o empresário Rodrigo Perez. “Sempre participou comigo da administração pública. Ele vem com muito mais conhecimento do que eu tinha no início, uma pessoa que carrega a capacidade de articulação e diálogo”, pontuou o governador.

Para Riedel, Perez apresenta um perfil mais executivo, enquanto Caravina tem um perfil político. “Então, tem sim uma mudança de perfil na Segov”.

Por fim, a secretária Ana Carolina Nardes, da  (Secretaria de Estado de Administração), deixa a pasta a pedido. Novo nome ainda não foi divulgado pelo governador, mas Frederico Felini, então adjunto de Caravina, era cotado.

Nardes confirmou que continua no Governo, onde já atua há 8 anos. Até o  devem ser nomeados também os adjuntos da SED (Secretaria de Estado de Educação), cargo deixado por Edio Antonio Resende, também alvo da Operação Turn Off, da Cidadania e da Cultura.

Os nomes devem ser oficializados no Diário Oficial do Estado. 

MIDIAMAX