21/03/2024 10h23min - Geral
2 meses atrás

Deputados aprovam codinome 'Estado do Pantanal' nos logotipos oficiais

Lei de Mara Caseiro declara Linguiça de Maracaju como patrimônio imaterial e cultural

Divulgação ► Deputados aprovaram o codinome para fereciar o MS

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


Com o objetivo de criar uma identidade para o Estado de Mato Grosso do Sul, foi aprovado em discussão única na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (20) o Projeto de Lei 160/2023, proposto pelo deputado Junior Mochi (MDB), que institui a utilização do codinome 'Estado do Pantanal' na identificação visual dos logotipos dos órgãos do Poder Executivo Estadual.

A Lei 4.702, de 27 de julho de 2015, tem como objetivo promover o nome de Mato Grosso do Sul, impulsionar o turismo e contribuir para o desenvolvimento econômico do Estado

"Precisávamos criar essa identidade. Quando falamos de Mato Grosso do Sul lá fora, todo mundo erra o nome do nosso Estado e isso é muito chato. Por isso, o objetivo desse codinome é valorizar o Pantanal e Mato Grosso do Sul”, relatou o deputado ao Correio do Estado.

O deputado ainda relatou que o codinome 'Estado do Pantanal', aprovado entre os parlamentares na Assembleia, tem tudo para valorizar ainda mais o turismo local.

"Nós temos de uma das maiores planícies alagadas do mundo e quando ouvimos de turistas a palavra Pantanal, sempre associam ao Mato Grosso do Sul. Por isso, vejo a utilização deste codinome como uma valorização do nome do Estado no país e também no exterior", relatou.

 Linguiça de Maracaju é aprovado como patrimônio cultural de MS

Outro Projeto de Lei aprovado em discussão única foi o Decreto Legislativo 1/2024, da deputada Mara Caseiro (PSDB), que declara a Linguiça de Maracaju como patrimônio imaterial e cultural do Estado de Mato Grosso do Sul. A matéria segue à sanção.

"A importância da origem da linguiça de Maracaju está ligada diretamente à tradição das famílias que colonizaram a cidade de Maracaju. Era feita inicialmente com carne suína, e com os suprimentos escassos, passaram a usar a carne de boi, e isso demarcou demais as tradições rurais das famílias de imigrantes. A história da cidade e da linguiça se entrelaçam, podendo ser percebidos em todos os cantos dos municípios", relatou a parlamentar.  

 Jornal Correio do Estado