08/03/2016 10h56min - Política
7 anos atrás

Para Azambuja, Brasil só sairá da crise se Dilma cair da Presidência

Reinaldo diz que País não aguenta instabilidade política que afeta economia

ValdenirRezende ► Azambuja defendeu o impeachment da presidente Dilma Rousseff -

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ressaltou ontem (07) a necessidade da saída da presidente Dilma Rousseff (PT) para o Brasil se recuperar da crise. Azambuja destacou, ainda, que afastar a presidente do cargo não é “golpe”, “como dizem alguns por aí”. Azambuja, no entanto, considera que há razões mais consistentes para que a presidente deixe o poder a partir da cassação da chapa Dilma-Temer junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), obrigando a convocação de novas eleições. “Acho que principalmente na questão do TSE, temos provas robustas hoje da participação da Lava Jato na campanha da Dilma”, afirmou o governador, sobre a ação que tramita na Corte eleitoral e foi proposta pelo PSDB, partido do qual ele é filiado. “Isso é realmente preocupante e o TSE precisa dar uma resposta para o País”, continuou. BANCADA DEFENDE IMPEACHMENT Tendo como ponto de partida a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT), deputados federais e senadores de Mato Grosso do Sul querem a presidente fora do poder e vão concentrar esforços para retomar o processo de impeachment no Congresso. Paralela à atuação política, os parlamentares clamam a população para que saiam às ruas no próximo dia 13 de março, quando acontecerá em diversas cidades do País o primeiro grande ato contra o governo desde a que suposta delação premiada de Delcídio arrastou Dilma e o ex-presidente Lula para o epicentro das denúncias de desvios de dinheiro da Petrobras. CorreiodoEstado