15/01/2024 09h20min - Região
3 meses atrás

Surto de covid cancela cirurgias e limita visitas no HR

Alto número de profissionais de saúde está com atestado médico, o que dificulta o atendimento no hospital - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

(Foto: Paulo Francis) ► Entrada Hospital regional de Campo Grande - MS

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


O HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) vai suspender as cirurgias eletivas, a partir da próxima segunda-feira (15), pelo período de cinco dias. O motivo é pelo alto número de profissionais de saúde que estão de atestado médico, parte deles com covid-19.

O comunicado foi assinado pelo diretor-geral do hospital, Paulo Limberger, que também pede para que as visitas sejam restritas, sendo de apenas um visitante por paciente, em um único horário preestabelecido.

Já o CTI (Centro de Terapia Intensiva) Pediátrico teve as visitas totalmente suspensas. Na unidade, dois pacientes e 5 profissionais de enfermagem haviam testado positivo para a covid-19 até o dia 11, conforme documento ao qual o Campo Grande News teve acesso.

Em comunicado interno, gerente do setor sugere que 4 leitos do CTI sejam fechados para que a equipe dê conta de atender as crianças já internadas. O hospital não confirmou se a providência foi tomada.

Além das medidas emergenciais, em comunicado enviado aos funcionários, o diretor também reforça o pedido do uso de máscaras durante a permanência no hospital para prevenir propagação de doenças infecciosas.

“Estas ações são temporárias e visam garantir o melhor atendimento e a máxima segurança para os nossos pacientes, visitantes e profissionais de saúde. Estamos monitorando a situação de perto e reavaliaremos essas medidas conforme necessário”, diz o comunicado.

Em nota enviada ao Campo Grande News, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul informa que todas as medidas necessárias já foram adotadas e que está seguindo as recomendações do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do hospital a fim de evitar a transmissão de infecções no ambiente hospitalar. “Ao fim do período de restrições, o atendimento voltará à normalidade”, diz a nota.