10/05/2017 14h25min - Geral
6 anos atrás

Em ônibus de alto padrão, petistas do Estado foram para Curitiba para apoiar Lula

apoiar Lula

CGNews/ André Bittar ► Esté um dos ônibus fretados pelo PT para ir a Curitiba

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Caarapó News


Pelo menos 50 sul-mato-grossenses embarcaram na tarde da terça-feira (9) para Curitiba (PR), em um ônibus de alto padrão fretado pelo PT (Partido dos Trabalhadores). Vão engrossar as manifestações de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que presta depoimento nesta quarta-feira (10) ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal da capital paranaense, encarregado da Operação Lava Jato. O que era pra ser uma situação constrangedora para o líder máximo da sigla no País, ao que tudo indica será transformado em um grande evento político para os petistas. Para o ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi, um dos dirigentes do partido em Mato Grosso do Sul, o recado é um só: “dizer para o Moro que esta brincadeirinha já foi longe demais”. O Campo Grande News cotou o fretamento para o mesmo trecho, esta semana, em uma empresa de turismo local. Por R$ 9.500,00 é possível que 46 pessoas viajem em um ônibus semelhante, com direito a televisores, frigobar, banheiro e leitos reclináveis que proporcionam aos passageiros o conforto equivalente ao de uma cama. O ex-deputado refere-se à Operação Lava Jato, a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve, cuja estimativa de recursos desviados dos cofres públicos está na casa de bilhões de reais. “O pessoal vai para dar apoio ao 'presidente', dar aquela moral. São dirigentes sindicais, representantes de movimentos de esquerda. Essa é a mensagem que queremos passar”, declarou Biffi. Ainda de acordo com ele, o PT organizou “toda uma estrutura diferenciada” para acompanhar o depoimento de Lula, envolvendo o fretamento de ônibus de diversos lugares do País, estrutura de som e uma série de pautas de discussão. “Não é coisa pequena. Tudo vai acontecer em frente à vara do Moro”, ironizou Biffi. O partido espera reunir 30 mil pessoas na manifestação, ainda que a Justiça do Paranájá tenha proibido manifestações públicas na região da sede da Justiça Federal. Além da montagem de estruturas nos arredores do fórun, a decisão da juíza Diele Denardin Zydek, datada de ontem (8), determinou também que apenas pessoas autorizadas adentrem o perímetro feito pela Secretaria de Segurança do Paraná. As manifestações estão restritas desde as 23h de segunda-feira (8) até as 23h da quarta-feira (10), considerando horários de Brasília. O depoimento está marcado para ás 14h (horário de MS). Delações Lula é citado pelos delatores da Odebrecht em pelo menos seis situações. Os executivos Hilberto Mascarenhas Filho, que chefiou o chamado “departamento de operações estruturadas” [setor de propinas] e Alexandrino Alencar contaram ao Ministério Público que a Odebrecht pagava uma espécie de mesada a José da Silva, o Frei Chico, irmão do ex-presidente. Eles disseram que os pagamentos eram feitos em dinheiro e eram do conhecimento de Lula. Segundo o Ministério Público, pagamentos que podem ser enquadrados como troca de favores que se estabeleceu entre agentes públicos e empresários. Em outro caso, Emílio Odebrecht, e Alexandrino Alencar relataram que Lula teria se comprometido a melhorar a relação entre o grupo Odebrecht e a então presidente Dilma Rousseff. Em contrapartida, Lula receberia o apoio da Odebrecht para a atividade empresarial do filho Luis Cláudio Lula da Silva. Defesa Apesar das citações, para Biffi, toda questão é uma manobra orquestrada para evitar que o ex-presidente volte a disputar eleições no ano que vem. “É só o PT. Não tem um tucano preso, o PSDB vai depor na surdina, mas a pressão em cima do PT não cessa. Ou ele [Moro] apresenta as provas ou para com esse negócio. Ou vale pra todos ou pra nenhum”defende o ex-deputado petista. Na última semana, lideranças e militantes do partido defenderam, durante o 6º Congresso Nacional do PT, a unidade interna do partido para a construção do projeto para eleger Lula presidente novamente em 2018. CGNews